Sincronário da paz e sua idealogia. A cultura do “tempo é arte”

Thiago José Bezerra Cavalcanti

Resumen


Resumen: O Sincronário da Paz constitui um movimento preocupado com a construção de uma nova era mais harmoniosa, regida por uma cultura de paz e arte. Seu principal slogan é o de que “tempo é arte”, carregando consigo o preceito de que “os códigos da arte estão dentro de todos nós”. Objetivamos compreender de que maneira a ideia de arte influencia ou determina tal movimento. Neste contexto místico, a arte confunde-se com o tempo, calendários, religião e apocalipse. A arte está em tudo, pois tem suas raízes nos movimentos mais fundamentais do Universo. Ela é a salvação, a porta de saída de um mundo capitalista de guerra para um mundo de paz.

 

Palabras clave: Arte; tempo; Sincronário da Paz; Maias; Nova Era.


Texto completo:

PDF HTML

Referencias


Argüelles, José (2002), O Fator Maia – Um caminho além da tecnologia, São Paulo, Cultrix.

Geertz, Clifford (2006), O saber local – Novos ensaios em antropologia interpretativa, Petrópolis, Vozes.

Montgomery, John (2003), Cycles in Time: The Maya Calendar, Guatemala, Editorial Laura Lee.

Sitler, Robert (2006), The 2012 Phenomenon – New Age Appropriation of an Ancient Mayan Calendar, Nova Religio: The Journal of Alternative and Emergent Religions, núm. 3, vol. 9, febrero, pp. 24–38.

Stuart, David (2011), The Order of Days: The Maya World and the Truth About 2012, New York, Doubleday.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.